2017-12-08

O fim dos falsos inocentes



"O fim da inocência" é duro. Oksana Tkach virtuosa. Joaquim Leitão mais do que competente a filmar momentos de violência, sexo e alienação que, ao contrário do que tem sido dito, não são típicos desta geração. São transgeracionais. Todos nós estivemos perante esta bifurcação. Aliás, estamos. A vida toda. E não é como pai que fico preocupado. É como próximo. Desde sempre pugnei pela queda dos tabus perante os mais novos, nessa idade de limbo em que o corpo parece adulto mas a alma ainda é menina, porque só os podemos proteger se falarmos disto. Explicar que a exposição em redes sociais não é inocente para muitos, e que há desejos negros e inconfessáveis. Às vezes, basta olharmo-nos ao espelho para perceber como somos falíveis, e o que distingue a humanidade é entender e controlar o que é animal e imoral. Não, ninguém tem direito de seguir o seu desejo nem é livre de o fazer. E mostrar isto desta forma crua, sem forçar o argumento, filmá-los em cima, deixá-los a sós connosco deixa-nos a nós desprotegidos. Já todos sabíamos, mas ver sem poder fazer nada é terrível. Vários rapazes e raparigas da idade dos retratados no filme, começando a projecção gozões e descontraídos, estavam colados às cadeiras ao intervalo. Assustados. Porque o filme é duro. É mesmo duro. Por isso imperdível. Tem sido relatado que muitos avós e pais e mães saem a meio, porque não aguentam. Isso acontece porque não estavam preparados. Mas é preciso que estejam. Que saibam que em dez seres humanos que se reúnem à volta de uma mesa, qualquer mesa, há vários (não apenas um) com instintos primários e inconfessáveis. E entre eles um ou dois que, por egoísmo, se podem tornar perigosos a qualquer momento. Não é por isso que é legítima a paranoia e o colo vigiado ou negado às crianças. Se o tabu cair e o assunto ficar em aberto, o perigo diminui. Mas se continuarmos a censurar e a esconder e a negar, os mais perigosos continuarão a atacar na sombra e os mais frágeis continuarão por proteger. Abençoado Joaquim Leitão por isto. #ofimdainocencia #pgm
PG-M 2017
Nota: a (belíssima) foto estava publicada no facebook do livro / filme sem identificação do autor

Sem comentários: