2016-05-27

O meu campeão

De anos a anos, o meu campeão tem de passar no blogue, até porque ele cresce e fica homem e quem lê apenas o blogue também merece saber - e ele, não sendo, é meu, como não sendo a minha vida toda, é tudo na minha vida - e ainda há o voleibol, que está acima de uma paixão para os dois. 
Em blogue, falo pouco ou quase nada da paixão absoluta que tenho pelo Voleibol, desporto que está há, praticamente, 60 anos na minha família, atravessou três gerações de internacionais e tem agora como intérpretes máximos os elementos da nova geração, Guilherme, 16, (o meu filho), Simão, 18, e António, 15 (sobrinhos). Esta é a oportunidade de deixar aqui algum lastro: um vídeo e algumas fotografias do rapaz que fez toda a sua formação no Clube Atlântico da Madalena e, no último ano, na selecção nacional, com quatro treinos diários por semana, projecto que ele abraçou com paixão naquele que é, provavelmente, o ano mais duro na escola - e tem trabalhado tanto e com tão bons resultados, escolares e desportivos, que é neste ponto que merece o destaque aqui. É uma excepção à regra, mas é um boa excepção. O meu Guilherme, pois, o 3 no clube e o 8 no último Europeu Wevza na selecção nacional de Sub17, que agora passa a Sub18, apresentado ao mundo.  Em primeiro lugar, o vídeo:



Bilateral com Espanha Dezembro de 2014,começo do projecto da selecção nacional:


Partida para estágio
No estágio das selecções de praia, em Castro Verde, 2015
Já em Itália, com Joaquim Pacheco em fundo
Itália-Portugal, 24-07-2015 (aqui é o 8)
No início da época 2014-2015, ainda com 15 anos, Pavilhão Municipal Póvoa de Varzim





Fase Final Nacional Juvenis, 2016, Pavilhão 2 da Luz






2016-05-16

O segundo alpendre

 Ao olhar os outros através do fumo da noite
estimo os que não olham para cá e temo
os que reparam na mancha do meu corpo curvado sobre o cigarro a tomar sentido de amanhã

deixem-me em paz, direi
deixa-me em paz, dirão
Vai um cigarro?

Não me levanto no alpendre. Não sorrio.
Inclino a cabeça atrás de outra baforada. A vénia.

E a semana entra de laço
com estranhos



PG-M 2016
fonte da foto

2016-05-14

para ser poeta


para eu ser poeta para os poetas
podia dissolver a pele
na rua
deixar o sangue em vez das casas
o cheiro em vez
dos carros
mas eu sou só poeta
para ti
e a poesia é a linha de luz
do teu corpo
ou o sábado de
manhã ou
o escritório vazio

e nós aqui


PG-M 20016
fonte da foto

meu amor, o dias nasce


meu amor, o dia nasce

os galos replicando a aurora
o derrame das ursas nos quintais celestes
copiam breves pautas pequenos pássaros em vastas copas de pomar
e há um só risco de luz no fundo dos olhos, primeiro de maio, depois de ti,
que de mim nasces numa volta da cama
os lençóis quentes puxados para cima dos ombros, bom dia, 
que horas são?, é cedo, dorme,
voltam-se os corpos no espaço sideral
e o dia nasce e a revolução está feita

nós não
nós ainda não

ainda se dorme dentro da casa










PG-M 2016
fonte da foto de Vin Scott