2015-02-05

Pelas onze da manhã


Ligas sempre
pelas onze da manhã

dizes que o corpo magoa
o corpo magoa e as horas
demoram
as horas demoram e a voz
é de lã
encontras-me sempre nu
frio
oco
rotundo
com o cubo do mundo
na traço fino da espinha
na linha
dos lábios sal

chove sempre cedo
mais cedo
cada vez
mais cedo

engulo Celan em seco, eu também
odeio rima


deixas-me os ossos em pó
enganas a solidão
e eu fico só


PG-M 2015
fonte da foto (James Stewart em "It's a wonderfull life, de Frank Capra)


Sem comentários: