2015-02-09

Cinco da tarde



às cinco da tarde
há um pasmo pênsil
nos rostos
da rua de baixo
mas um sol anguloso e presumido
nos vultos pardos
dos cimos de vila
fantasmas nas cúpulas
cadáveres vivos
nas caves
 

às cinco da tarde
ainda nada acabou

às cinco da tarde 
está tudo no fim


PG-M 2015
fonte da foto (Oxford Street)




Sem comentários: