2014-09-16

Dia 16


Ao décimo sexto dia
percebo
o poema infinito
do amor

passámos o meio de
nada
e ainda se escreve igual

se o amor está no silêncio
na mão que subtrais
em público
para ninguém saber
de nós
na ponta dos dedos
que seguem o meu
cabelo
no cheiro das manhãs
sem ti

o amor
estará sempre
o amor
estará todo

calado

o poema infinito
é não dizer


PG-M 2014
fonte da foto

Sem comentários: