2014-09-11

Dia 11


ao décimo primeiro dia

sou o velho parado
nos semáforos
brinquei naquela casinha rosa
sobre a areia
quando era da tua idade

e agora, avô?

conheci a tua avó nos intervalos
das dunas
por trás da casa
trocávamos cigarros
e promessas

e agora, avô?

agora ela está morta
e eu sou o velho parado
nos semáforos
brinquei naquela casinha rosa
sobre a areia
quando era da tua idade
e,
desde que ela morreu,
volto cada dia onze
a esta memória,
e voltarei mais
e mais
até desaparecer nela

estaremos os dois num intervalo do tempo
a fumar

PG-M 2014
foto da capa do livro "A manhã do mundo", do autor, autoria Rui Garrido

Sem comentários: