2014-08-29

Dia 29


Ontem foi um beijo 
brusco 
vinhas em branco 
rua após rua 
e numa esquina 
eu 

na esquina em que levas sempre  
o peito atado 
no próprio abraço 
e vais sem pele 

o nylon cauteriza 
a alma, 
pensas 

a solidão na garganta 

o nylon cauteriza 
a alma, 
dizes 

a multidão na garganta 

queres morrer 
nos dias pares 
e eu ali 
o beijo 
os Donna Karen 

po-la-ri-za-dos 

no chão 
o riso 
tu a bateres-me 
de raiva 

o dia 29 será leve 
tudo em nós será leve, banal, 

e contudo a poesia, Eurídice, 
está muito aquém 
disto  

e contudo os poetas, Eurídice, 
estão muito aquém 
disto 

mesmo os poetas da Cúria 
que usam lâminas celtas  
para a desmancha das 
palavras, e comem 

Herberto 

ao pequeno-almoço 

PG-M 2014
fonte da foto

Sem comentários: