2014-05-29

O meu leitor paulista Francisco e a minha leitora carioca Irlane

Começo pela Irlane carioca, porque a comoção do Francisco paulista vai ser contada toda por imagens.
A Irlane segue-me em ambiente de blogue e facebook,  e descobriu um post do ano passado que era uma ironia em tese política e social sobre o advento das redes sociais, olhando para o futuro e questionando o esvaziamento da palavra amigo, propondo, precisamente, "Inamigo". Ora, a Irlane pediu-me uma definição de inamigo para remessa ao projecto do Dicionário Informal, o que fiz. O notável neste duplo encontro (que aconteceu no mesmo dia por causa da pasta "As Outras", abaixo explicado) é a exigência, sabedoria e disponibilidade destes leitores. Como eu lhes disse, eu, mais do que escritor, sou servente de leitor. É o privilégio máximo ter pessoas assim perto de nós. E claro que isto acontece a muitos mais: mas, se acontece, que se celebre. Admiro muito leitores exigentes e dinâmicos, que não se deixam ficar no seu posto, que tentam chegar até nós: é a vantagem da contemporaneidade porque o resto são desvantagens. Como já muitas vezes disse, o textos deviam todos ficar a maturar cinquenta anos em casco de carvalho. Aqui fica a justa homenagem. A história do Francisco paulista vai contada pelas imagens do encontro, começando pelo meu post de hoje no facebook. Imagens com palavras, em vez de apenas palavras, para o coração aguentar :).

O meu post de hoje:


O post do Francisco, em 15 de Maio, no seu mural:
As palavras em privado - que me comoveram, mas que me escaparam ao tempo, e eu li quase duas semanas depois - e que o Francisco autorizou a revelar:

E depois do grato encontro:
  

Maravilhoso, no mínimo. Agora a gente já não se perde.
Obrigado a ambos. A todos.

PG-M 2014

1 comentário:

Irlane redlien disse...

Há um calor de enrubescimento em minha face que denuncia a minha comoção ao ler esse blogue, e que uma palavra seja o gatilho de tantas descobertas. Ainda não tive o deleite da leitura de seus livros, o que acontecerá em breve, mas faço minhas, as palavras do Francisco "Foi das melhores descobertas do ano como leitor." Obrigada Pedro Guilherme-Moreira por me ajudar a pensar.
_Irlane Redlien