2013-10-28

Tipo


No próximo Sábado, 2-11-2013, apesar de dizer no cartaz "Há poesia - e literatura - com PG-M", a ideia é testar se o que esse tipo tem escrito funciona como vindo de dentro de cada um dos que assistirão à sessão. Ou seja, não há dúvida de que hierarquicamente o público se situa no topo da pirâmide. A dúvida é se cairão para a base com o escritor. As coisas escritas, mesmo as bem escritas, precisam de sangue a circular, como as pessoas. Um escritor nada vale se olha para si ou por si, e só é profissional quando tem consciência das suas limitações. E depois o tipo não acredita em boa literatura sem um bom mediador - um editor que corta e humilda o ego do criador com letra pequena. A sessão tem esta singularidade: o tipo já passou um bom bocado dos 40, mas até hoje, em apresentações de livros ou encontros literários, mesmo com o nome no cartaz, nunca se centrou em si, mas sempre nos companheiros de mesa ou nas vozes que lhe povoam a vida (a avó, o Ilídio). E nunca deixou que lhe levassem poesia para a frente. Desta vez vai partir aparentemente do "eu", mas o tipo diz que as peças literárias - provavelmente toda a arte - são inúteis se não parecer que partem de dentro do leitor. O tipo diz que só consegue gostar do que escreve quando parece não ter sido ele a escrevê-lo, ou quanto mais se afasta da ideia que faz de si e se aproxima da ideia que faz dos outros. É por isso que vai ser uma noite única. E se alguém não gostar muito - não é só não gostar, é não gostar muito - o tipo diz que devolve o dinheiro dos bilhetes, porque a entrada numa coisa destas nunca é gratuita. Sábado, 2, 21:30h, Museu de Ovar. Há (boas) tascas perto.

Sem comentários: