2013-08-27

Communication


Quando deixo esta mensagem não sinto a solidão nem a madrugada, o gosto ou o desgosto, o corpo ou o pensamento, as mãos ou as ideias, a beleza ou a insignificância, o tempo ou a eternidade, deus ou o diabo, o alter ou o ego, quando escrevi aqui ou nas cavernas quis apenas uma só coisa pelos séculos fora: ser ligeiramente mais alto, mais amplo, mais comprido, menos singular, na consciência plena da minha pequenez.

PG-M 2013

2 comentários:

helena frontini disse...

Lindo, simples, mas profundo, depurado e rico.

Pedro Guilherme-Moreira disse...

obrigado, mãe Frontini :)