2013-01-30

Notas de um longo amor


O que ainda mal entendo 
neste nosso longo amor
dos subúrbios da cidade
é como nos almoços do
café do bairro
tu brilhas sobre todo o universo
e eu desejo a mulher bege
duas mesas adiante
e não faz mal
ou como
quando vou eu às estrelas
com a ideia da devassa
a Terra se parece contigo
e só numa observação cuidada
há vida noutros planetas
e não faz mal

não entendo como uso as pernas
da tipa do sexto bê
como aval de sobrevida
e ainda te persigo na cozinha
e te beijo no cinema
e choro
por te inconter.

Não entendo porque é que a tua beleza
varre tudo do meu corpo
e possui a minha alma
nos subúrbios da cidade
no bairro e no estendal
no carro
(e não faz mal)
no tempo da eternidade

ou quando eu posso,

que é à hora do almoço

PG-M 2013
foto de Amelia Sheperd, aqui

Sem comentários: