2012-08-03

sempre os mesmos olhos verdes




Tinham de ser verdes
sempre os mesmos olhos verdes


mesmo quando eu acaso
escolhi
a mulher universal,
lá está,
dediquei-lhe uns
olhos verdes


talvez porque


mesmo nas árvores nuas
se fizesse primavera
talvez porque
mesmo nos campos ocres
a fome virasse
tempo
e era ao frio
ou no velho sol de
agosto
que o silêncio me trazia
sempre os mesmos olhos verdes


e eu soube


que ela tinha crescido
o sorriso, a boca, o queixo, o colo,
o corpo,
levara-os sempre ela
aos lados todos que quis
mas quando enfim me voltou
trouxe intactos os olhos
verdes


sempre os mesmos olhos verdes

que mesmo nas árvores nuas
compõem as primaveras
e mesmo nos campos ocres
tomam para si
o tempo

PG-M 2012
fotografia de Chris Kelm. Fonte.


Sem comentários: