2012-08-29

Nós, os tristes

Depressa. Tenho dez minutos de bateria e tenho de dizer alguma coisa de relevante. Mais do que relevante, arrebatadora. É só esperar, ela desce-me. Mas são só dez - nove - minutos de bateria. Oito agora. O sol põe-se em breve. A lua levanta-se. Mas isto está tudo banalizado. Estou na praia, à vista do mar. Mas quem se comove com a praia e com o mar quando todos enchem o livro de caras com fotografias do "estou aqui, finalmente, no paraíso"? E, tomando assim cem pessoas, digamos, trinta alegram-se, trinta odeiam, trinta desprezam, dez vomitam. Sete. Seis. A luz desce sobre mim, afinal sou escritor, a luz desce sobre mim mesmo quando estou criptopórtico. Cinco. Tenho um download a acabar em dez, rezo para que o velocidade aumente. Quatro. Afinal não é a luz. Sou eu que sou brilhante, emissor, sou eu que desço sobre os outros. Alguma coisa grande era dizer que sou deus ou assim. Sou deus ou assim. A velociade do download aumentou, o sol inclinado dá-me nas pernas, nem sequer olho para o mar, está bandeira amarela. Dois. O sistema de segurança do portátil! Pfiuuuuuuu. ( ) Hibernou, o cabrão. Liguei à corrente. Os senhores do café têm uma papel a dizer "proibido ligar à corrente", mas eu expliquei que era um caso relevante, mais do que relevante, arrebatador, pedi outro café, aliás, disse que jantava cá, "mas nós só servimos almoços", oh, então outro café, "está bem, ligue lá um bocadinho". Estou agora com o tempo todo. O pôr-do-sol nem sequer está bonito. Estou com o tempo todo e sozinho. A dona está a olhar para mim. E a enervar-me. Não vou dizer nada, já sei. Sou um zero. Não valho nada. A luz sobre mim - as lâmpadas incandescentes vão acabar, a luz tornar-se-á lenta, branca. Há sempre o efeito quente. Sou um radiador de pesoas. A bateria está outra vez nos dez por cento. Vou desligar da corrente, voltar à esplanada e começar tudo de novo. Depressa. Tenho dez minutos de bateria e tenho de dizer alguma coisa de relevante. Mais do que relevante, arrebatadora. "Estou? Querida? Eu? Estou no escritório, a acabar uma coisa. Sim, vou para casa logo a seguir. Eu também." Cinco minutos. Eu também, eu também. Três minutos. Posso ligar à corrente outra vez? O download acabou. O download acabou.

PG-M 2012

Sem comentários: