2012-03-14

O aforismo prescrito do amor



"(...) Não há coisa mais alheia do ser de homem do que não responder com amor a quem o amou primeiro. — De maneira que, em sentença daquele homem de cuja língua estavam pendentes as sentenças de todos, o homem que foi amado de outro, ou o há de amar também, ou deixar de ser homem. (...)"

Marco Túlio Cícero, 106 a.c. - 43 a.c., dirigindo-se a Brutus

PS:  o Padre António Vieira, que será o autor do "aforismo" de amanhã e que citou Marco Túlio, exclui deste amor (para mim) prescrito o "amor desordenado", que equipara ao ódio. Portanto, o que realmente se encontra prescrito é a paga com amor ao amor são e ordenado:).

Sem comentários: