2012-01-03

Em Janeiro


Em Janeiro,
amo-te quando começam
a madrugada e o vento
e todas as outras coisas
e tudo o que é bom ou mau
como acontece no amor
que tem janeiros no fim
de cada abalo do tempo
e em cada abraço dos corpos
e em cada passo do mundo


Em Janeiro, amo-te pelo que foi
e por tudo o que há-de vir


PG-M 2011
fonte da foto


ps: este é o poema que voltará todos os Janeiros

3 comentários:

A.Miguel Oliveira disse...

Como o Pedro disse hoje na ESBN, em Leça da Palmeira, digo-o também de uma forma simples: gosto, gosto muito, trouxe-me o cheiro da terra molhada (mesmo que num Janeiro, este, ainda seco)!
Aproveito ainda para lhe agradecer o entusiasmo e proximidade que transmitiu na "conversa" que manteve na nossa escola, bem como as duas dedicatórias escritas nos dois livros seus, hoje meus! Muito obrigado, um abraço e até breve.

A.Miguel Oliveira disse...

Como o Pedro disse hoje na ESBN, em Leça da Palmeira, digo-o também de uma forma simples: gosto, gosto muito, trouxe-me o cheiro da terra molhada (mesmo que num Janeiro, este, ainda seco)!
Aproveito ainda para lhe agradecer o entusiasmo e proximidade que transmitiu na "conversa" que manteve na nossa escola, bem como as duas dedicatórias escritas nos dois livros seus, hoje meus! Muito obrigado, um abraço e até breve. A.Miguel Oliveira

Pedro Guilherme-Moreira disse...

Grato, Miguel. A honra (grande) foi minha. Abração.