2011-12-31

Pur cirque

Gestos sem linhas rectas, do mais ínfimo pormenor aos  mais virtuoso artista. Todos têm arte e profissionalismo absolutos. Uma grande banda a tocar ao vivo. Momentos de inevitável arrebatamento. No Cirque du Soleil eles cobram-se bem, mas sai-se sempre a pensar que valeu a pena. Este "Alegria" foi o nosso terceiro investimento, depois do "Varekai" e do "Quidam". Em vez de outras prendas. E valeu, se valeu.

Ah, e...olá Lisboa. Se há tripeiro que gosta de te rever sou eu.

PG-M 2011
fonte da foto

Sem comentários: