2011-11-29

Adagio

Não sei.



Não sei se é possível que eu inscreva no tempo que segue o tempo que precede.
Não é nostalgia, Neves. É por causa da catana, dos teus pedaços, do bisturi que esventrou a Maggie, da bala na nuca que fez montes de ossos pensar "que sorte". Encosto-me à cerca? Electrocuto-me? Volto a dormir no vómito, a nascer da merda, ou compareço na formação das seis e um quarto, aos quinze negativos? Formo. O Ishmael não vem. Deus virá?
São estes violinos que ouço, são eles que tangem, são estes pedaços que gemem, são estas frases partidas

não é poema nenhum

PG-M 2011

Sem comentários: