2011-10-19

Cathlyn


- Deixa-me dizer-te, Cathlyn, que ao ver-te fumar a ouvir blues às três da manhã no bar azul fico convicto de que saberias, com toda a doçura e mestria das mulheres que não se alcançam, dar-me intensos momentos de infelicidade, pelo simples facto de uma mulher como tu não se dissipar na intimidade. E sei também, Cathlyn, à luz dos teus olhos verdes já toldados pela névoa do malte e do fumo das Partargas Club, que foi graças a ti que percebi que cada breve sentimento de infelicidade que assoma em certas noites recatadas na sombra da minha mulher é só o custo de uma vida justa e feliz, como o custo de uma vida contigo seriam as noites felizes e alienadas erguidas sobre suporte vago. Como uma diva, Cathlyn, não és ninguém. E és tudo no tempo de cada cigarrilha.


PG-M 2011
fonte da foto