2011-08-18

Nighthawks

Edward Hopper,óleo sobre tela, 1942, "Nighthawks", exposto no Art Institute of Chicago

(empregado vestido de cabo raso a branco para uma esquina de Greenwich Village) Um dia parto desta luz para a do farol de Montauk e desta em voo raso de açor e há-de ser noite e descerei as garras para comer e não para ser mastigado na cidade e já nem o espelho que demos por dois dólares numa venda de garagem me devolveria a carne.

(homem que o olha como para dentro de si) e eu açor como tu serei e descerei as garras sem fome e fulminarei com a gula se já desfeito sou

(mulher de vermelho que está longe) Baker ficarei no ninho como vespa mas ave como vocês e de asas recolhidas sem plano de voo deixarei de precisar de pintar os lábios e de o ouvir dizer que já nem borratada sou nem nódoa nem borrão nem nada

(homem sentado de costas) nunca fumei Phillies nem fui procurado no cruzamento da sétima com a décima primeira nem em lado nenhum e se uma bala me trespassar a nuca depois de acabar a contabilidade da noite isso vai querer dizer que parti com o bando

não que desisti de ti

o bando de falcões, Josephine

lift me like an olive branch and be my homeward dove
dance me to the end of love

PG-M 2011
fonte da foto

PS: quando somos americanos e nunca fomos americanos há um desgosto que não desaparece

Sem comentários: