2011-05-01

A solidão dos primos e a excelência sem números

Vocês não sei, mas eu, ao cinema, vou buscar emoção, actuações, beleza formal, luz, corpos, olhares, histórias. Ao ler uma crítica de números (duas estrelas) ao filme "A solidão dos números primos", reparo que o excelso crítico diz que é tudo bom, magnânimo, sublime, mas que, se não fosse a grande competência do realizador, o filme nada valia. Portanto, o filme não seria bom se não fosse, mas como é bom por causa do realizador e dos actores e dos silêncios e dos ambientes, como é bom por causa de tudo, se não fosse isso não era. Duas estrelinhas. Eu até tinha lido o livro, mas não vamos confundir as coisas: verdade, verdadinha, é que, fora o protagonista, Mattia, que é mais frágil que o do livro, a intensidade e a beleza formal estão cá na totalidade. E os actores? Se eu vos disser que não há um que não esteja muito bom, não minto, mas depois há o Luca Marinelli - excelente, para o papel que lhe foi dado - e, cuidado com ela, que grande papel, a ruiva italiana que não é nada bonita e é tão bonita, Alba Rohrwacher, que se tornou anorética (e Luca, que era quase isto, ficou gordo) para cenas levadas da breca, totalmente viscerais. Gostei muito? Pois gostei - mais uma vez o casting conseguiu fazer milagres e dar-nos miúdas feias e lindas, tão claras quanto perturbadas, tão doces quanto assustadoras, fortes, tão bem filmadas por Saverio Costanzo, um realizador talentoso que deve andar muito aborrecido por não ter sido percebido: afinal, o único prémio que este filme recebeu foi o de melhor actriz, para, claro, Alba, no festival de cinema italiano de Bastia. E quase todas as críticas (eu li cerca de 30 de diversos países do mundo) dizem que ele é um fantástico realizador que filma magnificamente, mas depois tiram poucas estrelas do bolso (embora haja alguns 4 e 5, por mais redutor que estas classificações sejam). Gostei muito, pois gostei, mas eu, caramba, sou só um tipo que vai ao cinema ver setenta filmes por ano há vinte e seis. Nunca ganhei um tostão como profissional do sector. O que sei eu de cinema?
PG-M 2011

Sem comentários: