2011-03-27

Simpsons e o ringue do senhor da pedra

Estão intimamente ligados pela estupidez humana e pela vontade de fazerem de nós tolos.
Como sabem, Homer Simpson trabalha numa central nuclear, e vários canais de televisão, mundo fora, lembraram-se de censurar episódios dos Simpsons, cortando as partes "nucleares". Mais uma vez, alguém decide que o povinho não é suficientemente maduro para aguentar emocionalmente o embate de um programa que pode soar a humor negro (como se o humor negro fosse um crime) ou, pior, querem que nos esqueçamos por momentos da gravidade do acidente nuclear, como sempre quiseram que nos esquecêssemos de tudo o que era mau (é escondendo a perfídia - as imagens e provas de horror - que se consegue criar uma raça de súbditos incautos) e voltemos à nossa evasão, que é como quem diz, ao entretenimento que faz de nós pessoas acríticas.
Porque é despido de sentido crítico que se pode aceitar com naturalidade a segunda notícia: a câmara de Gaia resolveu desmantelar o polidesportivo do senhor da Pedra, ali mesmo em frente à capelinha sobre o mar, um verdadeiro serviço público usado por todo o tipo de pessoas, de papás com seus filhos bebés a adolescentes com os seus polegares e a adultos com a sua vontade de mostrar que nunca envelhecerão. E depois? Desmantelado o equipamento, os miúdos voltarão a exercitar o seu polegar nos telemóveis e a exacerbar o seu tédio nas esplanadas circundantes. Motivo avançado para o desmantelamento? O dito polidesportivo era invavido de madrugada por energúmenos que faziam barulho. O espaço está dotado de dois seguranças 24h por dia, mas estes explicaram que, depois de avisar o pessoal que invadia o espaço, nada mais podiam fazer que não chamar a polícia. Espanto: quando a polícia chegava, os relapsos já tinham ido embora. É para isso que serve a polícia, certo? E barulho pode fazer-se em todo o lado, e não se vai desmantelar todos os equipamentos e casas junto dos quais o barulho ocorre. Claro que só uma papalvo engoliria a dita explicação, e este caso só aparece aqui porque se aplica a este triste país: é que em volta do parque onde se insere o polidesportivo do senhor da Pedra mora (muita) gente importante. Oh, que surpresa. Gente que tem capacidade para mandar desmantelar, e por isso deitar ao lixo, as dezenas de milhares de euros (bem) gastos naquela espaço. Imagine-se se, por cada caso de polícia, se desmantelasse equipamento público. E deitar a estátua do Marquês abaixo para impedir festejos de campeonatos, que tal?
Agora o espaço ocupado pelo polidesportivo vai ser "reduzido" a espaço verde.
E se algum energúmeno se atreve a fazer barulho no dito espaço verde, o mais certo é que se desmantele o dito, cavando um abismo para o qual se possam atirar os cidadãos que se atrevam a incomodar quem pode.

Sem comentários: