2011-02-11

todas as simones do mundo



por trás daquela cara ainda surges toda tu
como és menina, como a pele
está por dizer, e tu sabes
que nada nos teus olhos
se nublou;
quando ao espelho p'la manhã te
relembras
e te juntas à máscara
e vês plano,
puro, liso, e afirmas o poder de cada
ruga, e enches
os lábios, e espalhas
o rouge, e soltas
a luz, sabes
que mesmo lá no alto,
quando o corpo acessório se curvar,
ou tu morreres,

ainda és menina e a pele está por dizer, e tu sabes
que nada nos teus olhos
se nublou

e em todos os lugares ficarás sempre
toda tu

Pedro Guilherme-Moreira 2011

Sem comentários: