2011-02-05

A enforcada

Quando me enforquei na Savana depois de fumar o teu último cigarro, expondo o teu desespero frívolo, cromado, agudo, por te faltar o tabaco, ao meu desespero entranhado, gasto, baço, por me faltar tudo, pensávamos em felicidade no safari do bioma do Serengueti, e afinal eu só queria uma palavra tua no bairro das Amendoeiras, quando sem flor nenhuma fomos polícias entre ladrões. Ou uma mão sobre os cabelos. Ou tu.
PG-M 2011

Sem comentários: