2011-01-12

Eu tento.
22:00h da véspera do fim do mundo:
Gostava de sair um dia com o rebanho e dizer Mé. Só Mé. Mé. Desligar a cabeça. Mé. Um desalinhado morre mais cedo.
22:30h:
Queria descer ao lago com o rebanho fofinho e comer daquela erva viçosa. Mé. No rebanho também se pode cheirar o ar e olhar as nuvens de frente. Fora do rebanho o ar fica pesado e denso e a respiração mais difícil. Então não posso sair com o rebanho, só um dia? Uma manhã a toque de pastor?
Eu tento.
6:30h do dia do fim do mundo:
Estou neste momento a sair com o rebanho, perdido de riso com o olhar alienado das outras ovelhas. Eu sabia que ia valer a pena.
6:55h:
Há aqui uns "més" desalinhados, mas consta que as tipas não tresmalham porque lhes custou muito a chegar até aqui.
7:30h:
Já levei no focinho do pastor por estar na conversa.
8:00h:
Diz-se por aqui ao mé pequeno que quem tresmalha, se não é apanhado pelos lobos, vai a chanfana da República, seja cabra ou não.

Eu tento, mas não consigo deixar de ver o postiço, os cobardes todos no coberto à espera que passe o aguaceiro, os corajosos a trabalhar furiosamente sem perceber porque é que há sempre tanto para fazer; eu tento, mas sou apenas uma ovelha com visão raio x, e vejo; eles tentam, mas eu não consigo ficar deprimida (peço desculpa); eu tento, tento tudo para ser uma triste como as outras, mas não me dá para isso; então tresmalho.

11:30h, o fim do mundo:
No fim do mundo não há estouro. Só Més. Muitos Més. O fim do mundo é tostadinho e só para mim.
Eu, que vou a chanfana. É quase meio-dia e estou a sair com batatinha assada e esparregado.
Um desalinhado morre mais cedo.

2 comentários:

Shuzy disse...

Méééé

(*=

Pedro Guilherme-Moreira disse...

Mé de volta.
E esses estranhos sinais, o que querem dizer,Shuzy?
(*=