2010-09-28

Ou seja, sexo (over and over and over again:)

("Obrigatório" carregar - abaixo - no "Love came here", de Lhasa de Sela, antes de ler:)




Passa a música outra vez.



Não tires os olhos destes.
Boa noite.


Já não consigo parar. Trata de tudo e vem. Baixa as luzes brancas, sobe as azuis, traz os cigarros e vem dançar em "repeat". Dolente, dolente, dolente. Não te apresses nem ligues ao dístico vermelho, eu pago a multa, vale o dinheiro. Não te esqueças do vinho tinto e dos copos, estão a respirar em cima do aparador. Agora vem sufocar. Será tântrico, como se vivêssemos dias de duzentas e quarenta horas e noites de trezentas, haverá pausas no teu cabelo, no teu pescoço, nos teus braços, mãos, coxas, e depois das línguas os lábios e o cheiro até de manhã. Antes de entrares na sala, desfaz a cama e arranca o lençol de baixo para te velar o corpo quando estiveres no chão. Se os corações aguentarem, sobreviveremos à noite e haverá outras. Se não, que se lixe.


PS: 


"There is no end to this story
No final tragedy or glory
Love came here and never left

Now that my heart is open
It can't be closed or broken
Love came here and never left

Now I’ll have to live with loving you forever
Although our days of living life together
Of living life together are over

There's nothing here to throw away
I came to you in light of day
And love came here and never left"

2 comentários:

Susana Valério disse...

Gostei muito do post, foi uma lufada de ar fresco, veio a calhar, sem saber acho que precisava disto. Obrigado.

Susana Valério

Pedro Guilherme-Moreira disse...

Obrigado, Susana. Quando alguém me diz uma coisa destas, sinto que todos os sacrifícios que faço pelas palavras valem tudo:).