2010-06-01

Garrano

Que lábios são
que esmorecem?

Que boca morre?

Pareceu-me ver na sombra
da magnólia, depois no chão
o teu sorriso
fechado

dizes que não

e vens na luz
da manhã no vento sul
na chuva pelo teu pé

vens montada num garrano
tens um plano
um rumo de fim do mundo
um momento,
um segundo
um lamento
o choro que ocultarás
pelos campos de um olhar
mudo

como à sombra da magnólia
um sorriso
antes de tudo


PS: fonte da imagem

Sem comentários: