2010-01-24

Vera e as Nuvens



"Nas nuvens" são-nos vendidas duas ideias concorrentes,
mobilidade e independência
versus
estabilidade e compromisso.

É um filme pessimista para a solidão e optimista para os que cederam um pedaço de si em prol do projecto comum. Levanta-nos um espelho e explica-nos a sua tese. Metade do filme exalta brutalmente a pessoa como estrutura socialmente unicelular, a outra metade deixa ruir o equívoco perante o óbvio: nenhum homem  é uma ilha.

Vera Farmiga (na foto supra) mostra-nos a essência do erro. E também nos mostra que o glamour não congelou lá atrás, no cinema clássico. Como tantos, eu dizia que ela não era especialmente bonita. Mas isso foi antes de Vera ser filmada pelas objectivas de Jason Reitman. E olhar assim uma mulher, tão de perto, violar involuntariamente a sua privacidade, é esmagador.

Vera Farmiga entra, pelo menos, para a nossa modesta galeria de divas.
Hoje foi a mais bonita girl next door.

Sem comentários: