2010-01-11

Tenho um sono


tenho um sono, tenho um sono
de morte,
fecha-me os olhos, deixa-me leve,
leva-me o corpo sem peso,
indaga presto
a mulher cava, é só a mala
de couro.
(todos os velhos do lar
levam embalagens planas)

tenho um sono, tenho um sono
de morte,
fecha-me o tempo, deixa-me o peso,
leva-me o corpo à memória,
Indaga presto
o teu olhar, a nossa casa
de vento.

todos os velhos no ar
levam embalagens plenas

Sem comentários: