2009-12-17

Clubite no divã

(Nota prévia: a expressão da semana, em termos futebolísticos, para que fique registado, é "dar minutos", certamente das mais belas de sempre, e que significa "pôr a jogar jogadores irrelevantes, porque o jogo é a feijões")

- Doutor, sou do Benfica.
- Parabéns.
- Dá-me uma raiva enorme quando o Porto ou o Sporting ganham.
- Interna ou externamente?
- Ambas.
- O que lhe dói mais?
- Penso que internamente.
- Aqui?
- Mais ou menos.
- Não é grave.
- É normal?
- É uma ligeira frustração, passageira, do género "não é desta que ganhamos pontos aos gajos?"
- Não. É forte. Fico deprimido, discuto com a mulher e com o filho, ou bato-lhes, se conseguir. É mais "Grandes bestas. Que sorte marcarem aos 50 minutos!"
- Mas aos 50 minutos nem sequer estavam perto de empatar ou perder...
- ...por isso mesmo. Só me vem à cabeça "no fim da primeira parte o Benfica estava mais longe...era tão bom, tão bom..."
- O Natal era melhor assim?
- Era.
- E no estrangeiro, presumo que queira sempre que percam.
- Sempre.
- Já viu de que tamanho fica sua pilinha nessas alturas?
- Vi. Ou melhor, deixo de a ver.
- Hum...
- É grave?
- Bom, grave não é. Quer dizer, não é se mudar de residência por uns dias, e aceitar um internamento temporário.
- É assim tão grave?
- Moderadamente. Posso ver se há vagas?
- Por favor, doutor.
- Estou? Jardim Zoológico de Lisboa?

Claro que esta breve palhaçada, e o respectivo diagnóstico, se aplica a qualquer adepto de qualquer clube, e tem menos piada do que o que parece à primeira vista.

Espero que quem assim sente e pensa se sinta suficientemente mal, depois de ler estas palavras.

PS:

Eu, portista, nascido na Sé, crescido nas Antas e em Gaia, com pai, irmão e próprio jogadores de voleibol no FCP, com filho sócio do FCP há dez anos, declaro:

- Faço questão que o Benfica ganhe hoje ao AEK, como faço sempre em qualquer circunstância ou embate com clubes estrangeiros.
- No Domingo, no Benfica - Porto, a minha única frustração é se meu FCP jogar melhor e perder ou empatar injustamente, porque essa do "não há justiça no futebol" é treta. Se perder justamente, é-me fácil a aceitação, e até a homenagem aos vencedores.
Que seja um grande espectáculo, e isto não é treta.

Espero que o desportivismo se pegue a alguns cobardolas de hoje, os que baseiam a sua coragem na agressão e no ódio aos outros, se esquecem da banalidade de um jogo, e ainda por cima vivem felizes com isso.

Sem comentários: