2009-11-20

Les petites "merdas" (salvo seja) et la frivolité - gajismo, ciclismo e golfe

Não estás bem a ver a cena!

Sabes aquele rotunda na praia? Uns metros antes, estava uma gaja estacionada numa Mercedes, ou a Mercedes estacionada nela, eu estava pr'aí a trinta metros, a tipa arranca de rompante e corta-me  a trajectória.

Dasse, pá! Disse-lhe tantas! Mas ainda não acabou, queres ver? A tipa segue como se nada fosse, a trinta à hora, e eu eu cheio de pressa. Dois quilómetros à frente, eu ainda atrás dela, acelera para a estonteante velocidade de SASSENTA (60) quilómetros, mesmo ao pé dos semáforos de controlo de velocidade, e aquela merda fecha.

Ó pá, não aguentei. Saí do carro, cheguei-me ao vidro dela, a gaja olha-me d'alt'a baixo, pá, e.. arranca!

(Estava verde?)

Estava, pá, mas a questão não é essa...dasse...

(continuei a tomar o meu café e a observar uma japonesa grunge a ver-ser ao espelho na montra do restaurante)

Depois fui para o trabalho pela marginal, e rai's parta o trabalho ao Domingo, rai's parta o povo, aquela m... é o hipermercado do relax. Agora tudo tem as suas sapatilhinhas de marca, os seus calçõezinhos de marca. E ainda dizem que há crise. Tudo a fazer o seu joggingzinho. Que irritação, pá. Nâo se encontra um lugar, e vais em filas de quilómetros, com os azelhas como a gaja da manhã a desfilar.

(Se sabes disso, porque é que não vais por cima?)

C...! Não tenho direito, como os outros? Vai-te f..., pá!

Mas ouve, o problema não é esse.

O pior de tudo são os ciclistas, aqueles cilclistazinhos irritantes, todos equipadinhos, com mochilinha junto ao corpinho, o capacetezito afiveladinho, e depois andam lado a lado, três a três, quatro a quatro. É uma praga.Dia e noite!

(Uma verdadeira praga.)

Gente sem escrúpulos, que só se quer exibir.

(Ora bem!)

Pá, hoje não aguentei, Pedro!

(O quê?)

Pá, fartei-me de buzinar a um grupo de três e os gajos nem se mexeram.

(e depois?)

Pá, dei um encosto a um com o carro.

(E...?)

O gajo caiu sobre os outros. Fartei-me de rir, pá. Mas depois vi um deles com um papel e uma caneta, aqueles coninhas até levam papel e caneta para fazer exercício...

(isso e lanternas, e água, e telemóveis e tudo!)

Pois...pá...virei logo na primeira rua, mas o gajo apanhou-me a matrícula e tenho aqui isto.

(Mostrou-me uma notificação do Tribunal, pôs as mãos na cabeça, encolheu a virilidade )

O que faço, pá?

(Diz-me uma coisa. Esqueceste-te de opiniar sobre os coninhas que jogam golfe,  e dizem que não há dinheiro, que até é um vício barato, três contos de rei e dão uma voltinha ali no Fojo, são três bilhetes de cinema, mas está bem, não te irritam estes?)

Nem me fales!!!! Não imaginas o que tenho de aturar. Alguns até levam os filhos. Apetecia-me pô-los a todos contra uma parede e rá-tá-tá-tá-tá!!! "Xauzêscu"!

(O palerma nem sequer tinha reparado no meu Sand-wedge com um loft de sessenta graus no banco de trás do carro, perfeito para lhe aquecer aquele rabo. O meu filho de doze anos chegou com o putter e nós despedimo-nos dele. So long, sucker.)

Ó! Ó! Queres ver? Fuôd..................O qu'é qu'eu disse???????

(C'est mon petite "merdas" privé, que je torture tous les matins.)

(PS: Vendo bem as coisas, não sei quem serão os maiores palermas:)

Esta cena é ficcionada, não vá a porca torcer o rabo

Créditos fotográficos aqui

2 comentários:

Luis Bento disse...

Humor corrosivo, escrita contemporânea e muito domínio da narrativa. O diabo pode tecê-las, mas a crítica não é ficcionada...

Pedro Guilherme-Moreira disse...

Obrigado, Luís. Abraço!