2009-06-26

O teu morreu (o de Charlie também)

A Farrah Fawcett (Jill) era o anjo do meu primo Gonçalo, a minha era a Jaclyn Smith (Kelly) e a do meu mano a Kate Jackson (Sabrina). Tínhamos entre nove e onze anos. Com elas fomos tudo: piratas, gangsters, detectives, playboys, mas nunca cobiçámos a mulher do próximo:). A loira platinada que deixou as rugas crescer em si sem esmorecer a beleza, morreu ontem, e só hoje eu, o meu primo e o meu mano vamos parar de brincar aos Anjos de Charlie. Mas amanhã, às primeira horas do dia, quando o seu corpo for escondido do mundo, voltaremos a encontrar o ouro dos seus cabelos, que é certamente o mesmo que brilha nos nossos sonhos.

(N.A.: na realidade, o funeral de Farrah tem lugar na Catedral Católica de Los Angeles na Terça-feira, 30 de Junho de 2009; depois de ter visto - hoje mesmo, 28-6 - o documentário sobre a sua luta contra o cancro, um pedaço de coragem que incorpora a exacta atitude que acredito todos devamos ter perante a morte, as modestas palavras que acima escrevi assumem uma importância particular, e Farrah agiganta-se mais e mais como símbolo das coisas boas da vida...)

PS: No mesmo dia, morreu Michael Jackson, e a lenda continua...

Sem comentários: