2009-05-17

J (com haikai dentro)

Elas passam no passeio das Cardosas,
Poderosas,
Passam todas em vestidos sufocantes
Estão pedantes,
Estão na praia por esplanadas refulgentes
Diluentes

Menos J,
Que é mulher.

(Que abaixo do brilho dos corpos celestes
 Que acima da carne dos homens agrestes
 Há doces sorrisos e mãos de veludo e colos de lã e ombros de amparo e olhos de seda
 e trapos rasantes de todas as formas por dentro dos homens, por fora não és,
 Só és substante se ela, mulher,
 estiver por descer
 de anjo, na sombra
 dos passos, gaivota
 no plano de voo,

 trovão na vã quietude.

E então essa J, a tal  que é mulher, pediu de rompante a sua palavra, pediu para dizer,)

Decantando um malmequer:

(haikai:)

Luz do dia, Cotovia
Fundamento dos teus versos,
Doce rima dos teus berços.

 


Sem comentários: