2009-03-02

O RIO (do meu pequenito Gui, 9 anos)


Quando o meu filho de nove anos me mostrou este poema que escreveu assim, do nada, só dele, fiquei siderado. Eu sei, é meu filho, é suposto eu sentir-me assim. Mas escrever assim aos nove anos quer dizer tanta coisa. No meu orgulho desmedido, publico este poema, na certeza da solenidade do momento: é o primeiro texto que alguma vez o meu Gui teve publicado (a arrumação dos versos é dele):

O RIO

Nos teus olhos vejo um rio de

lágrimas que corre para uma solução

de água.

Na praia o mar não é o mar,

mas sim a tua íris azul.

A tua tristeza envolve pequenas

partículas de alegria.

O rio envolve tudo isto:

alegria, trisiteza, soluções,

e até um pouco de mar.

Guilherme Moreira, 2009-02-25

Sem comentários: