2008-04-29

As virgens do Futebol - quando sportinguistas e benfiquistas torceram pelo Porto


Gostava de ser breve nestas palavras. Sempre que falo de futebol, tento trazer um olhar paralelo, e hoje trago-vos um que me deixou algo indignado este fim-de-semana em que andei pela apaixonante Lisboa. Como adepto do FCP, fui abordado insistentemente por adeptos de clubes da capital que tiveram a iniciativa de me avisar que, se o Porto não ganhasse ao Guimarães (fora) no Domingo, o futebol era um vergonha. O Porto lá acabou por ganhar 0-5, e um jronal desportivo trouxe nas parangonas do dia seguinte o seguinte título "Mais sério é impossível". Portanto, o silogismo parvo é este: se o Porto ganhar ao Guimarães, é sério; se não ganhar, é corrupto; ganhou, é sério. Mas será que essa gente acreditava mesmo nisso?
Ora, posso assegurar-vos que há muito pouco de sério no futebol (em geral), e isso não mudou este fim-de-semana.
E eu, que nunca quis mal a clube nenhum, e tenho mesmo o hábito de me solidarizar com o sofrimento dos amigos quando as derrotas são mais pesadas (incluindo Benfica e Sporting, como podem conferir mais abaixo neste mesmo blogue), passei por ser um "hooligan" por desejar que o Guimarães vencesse o jogo, e até me chegaram a dizer que um verdadeiro portista nunca desejava a derrota da sua equipa, logo eu, que cheguei a vestir a camisola do meu clube e tive um pai mais de trinta vezes internacional ao serviço do FCP.
Portanto, eu devia comportar-me como um dirigente ou jogador do meu clube.
É típico do nosso futebol e da gente que temos obcecada por ele, sacrificando tudo e todos por noventa minutos de delírio (família e sanidade mental), esta inversão súbita de valores, que mostra a monstruosa quantidade de obtusos que há à volta desta fenómeno.
Pois termino dizendo apenas que é desporto desejar que um clube como o Guimarães conquiste um honroso segundo lugar, e é naturalíssimo que não tendo o meu clube nada a perder, o primeiro desejo suplantasse o prazer que sempre me dá ver a minha equipa ganhar, como acontece aliás em muitos jogos Porto-Académica (como estudante de Coimbra que fui).
Nada tem a ver com um desejo, que nunca tive, de insucesso dos primos da segunda circular.
Isto, meus amigos, é que é não ser doente por futebol.
Finalmente, é perfeitamente ridícula a conversa de que um clube que ainda tem um objectivo importante não pode poupar jogadores titulares sujeitos a grande desgaste. Viu-se. Foram cinco secos, mesmo sem titulares.
E fica escrito porque queria que soubessem, ó energúmenos obtusos, que nós, os que pensamos e valorizamos as coisas realmente importante da vida para lá do futebol, também temos conversa para cervejas, tremoços e Sport Tv! Não nos limitamos a desprezar-vos.
Pedro Guilherme-Moreira, 2008-04-29

2 comentários:

belém disse...

Ah!

Olha, para te deixar feliz, cá em casa o discurso foi "Vá, agradece-nos o segundo lugar!! E agora não estragues!". mas eu, pelo menos por enquanto, ignorei.

Pois claro, também se gosta de futebol, e de ter discussões sobre a bola - jogo, jogadores e intrigas futebolísticas incluídas.

;)

(então, prima da segunda circular...)

Anónimo disse...

Advogado e Portista. está tudo dito.