2005-05-18

UM TRAUMA PORTUGUÊS



É assim.
Com ou sem endeusamento do futebol, dói a qualquer português.

Fica então esse novo trauma, bem português, de perder jogos decisivos em casa.
E vão ficar as metáforas e as piadinhas de algibeira durante muitos meses, talvez anos.
Sabemos que a final de hoje, perdida em Lisboa, pelo Sporting, no seu próprio estádio, para o “clube desportivo do exército russo” –CSKA (no meu modesto entender, uma excelente equipa), e a de 4 de Julho do ano passado, perdida por Portugal, também em Lisboa, para a nobre nação helénica, sem esquecer o jogo de abertura desse grande Euro 2004, igualmente perdida por Portugal para a Grécia, mas no Porto, que foi feito inédito em eventos deste género, serão transformadas em paradigmas negros do Portugal que murcha por dentro, do país real que é esbofeteado por si próprio.

Mas, já agora, cola-se-me mais à pele toda a festa, coragem e superação nacional que se viveu entre as duas derrotas com a Grécia.

E é assim que eu quero ver os portugueses, mesmo com uma arma apontada à cabeça, entre portas.

Acreditando.

Porque vamos lá.
Ai vamos, vamos!

Era o que faltava se não fôssemos.

Viva Portugal!

Pedro Guilherme-Moreira
2005-05-18, dia do Sporting-1, CSKA-3, na final da Taça UEFA, jogada em Alvalade;

Sem comentários: