2004-12-18

POSTAL DE NATAL

Este ano lembrei-me de escrever este

POSTAL DE NATAL

É diferente o rasgão
No envelope da alma,
É diferente o borrão
Carimbado na palma

Da mão.
E um postal de Natal
Levantado nos dedos,
Tem a marca do sal
Do olhar, dos segredos,
Tem o cheiro dos medos,
E é tecido imperfeito.

Tudo o resto é igual.

E desculpa é o que peço,
De sair só do peito
Este que ora vos teço:

Nem rasgão nem Borrão,
Só ao longe um teclado,
E uma pena sem mão,
E um ecrã menos turvo,
E um texto mais curvo,
Copiado e Colado.

Será isto pecado?

Que ao menos se sinta,
Que apesar de pairar
Para cá do papel,

Esta carta sem tinta
É o meu tempo em pedaços,
Devorado a cinzel
De um bloco de abraços...

E o meu tempo não mente,
Quando digo, afinal,
O que diz toda a gente:

Bom Natal
E Feliz Ano Novo;
Renovo,
E só quero um rasgão
Feito à mão.

Pedro Guilherme-Moreira
2004-12-18

2 comentários:

Anónimo disse...

Who knows where to download XRumer 5.0 Palladium?
Help, please. All recommend this program to effectively advertise on the Internet, this is the best program!

aoromperdabelaaurora disse...

http://www.youtube.com/watch?v=nhxf2Xg4xGc

O dia de natal é apenas um dia mais. Nos primeiros anos em que a familia ora por causas naturais ou outras se afastou e não era dificil, já que somos só três, fiquei com duas e perdi o rastro ao terceiro. Nesses primeiros anos, colocava a tradicional mesa de consoada, que ficava até aos Reis, as “três da vida airada”. Uns anos depois, a minha segunda começou a não sair do quarto do meio, enquanto a minha primeira continuava e continua a ser partilhada entre o lado materno e paterno.

Claro que sobram os amigos, tenho bons amigos mas acho que esse dia é da família e não me estou a ver “espetar” junto das famílias dos amigos.

Penso que nessas alturas muitas pessoas criam laços forçados com o medo do fantasma do natal só. Nesta altura do ano (Natal) muitos criaram esta necessidade de dar palmadinhas nas costas uns dos outros, de se ofertarem como se fossem irmãos, apesar de no resto do ano terem andado mutuamente a planear homicídios de carácter.

Se não preferia estar acompanhada?

Diria que sim óbvio, mas confesso que me custa mais passar os 364/5 dias do ano sozinha do que o dia singular do Natal.

Acredito que um dia irei ter uma nova família, alguém que mereça passar o Natal comigo, e assim sim, nunca mais quero passar esse dia só, assim como nenhum dos outros que sobram do ano.

Feliz Natal Pedro e um Excelente 2010