2004-11-19

AS CASAS E O MOMENTO (GAIATO/CASA PIA)

A Casa do Gaiato pode vir a revelar-se um escândalo de proporções idênticas ao da Casa Pia.

A imprensa decidirá se o deixa morrer ou não.

Mas a imprensa também decidiu, manipulada ou não, publicar agora, e apenas agora, porque temos o julgamento da outra (casa) à porta.

Eu costumo afirmar-me muito "Rousseau", porque acredito nas pessoas primeiro, e só desconto as maldades depois. É uma inocência assumida, de quem está de bem com a vida.

Ora, quanto a violência e abusos sexuais sobre crianças, há muito que decidi que o ser humano, por natureza, é desumano.
Ou seja, não poupa as crianças, e deixa-se comandar pelos seus impulsos.

Porque as pessoas podem ser boas, por natureza, mas também são cobardes.

E é por isso, e apenas por isso, que na sombra há sempre uma criança violada.

Porque, num qualquer grupo, num qualquer jantar ou almoço, numa qualquer festa, a maioria dos que estão à vista são cobardes. Sempre.

E abusariam de uma criança, se lhes apetecesse, se houvesse uma sombra, uma porta fechada, um momento de solidão.

Esta é a realidade.

O momento para sermos lembrados disso é que é escolhido por quem tem o poder, seja a imprensa, seja quem a usa.

A mim, não me fazem de palhaço.

Já estou alerta para isso há anos, e isto nada muda.

É por isso que sempre disse que nunca prescindiria do direito de beijar e/ou tocar uma criança em público, porque os impuros têm necessidade de tocar na pureza, de absorver a magia, e de assim ficar melhores, por um momento, ou para sempre.

E muito menos prescindiria da minha relação de carne com o meu filho.

Agora, os cínicos, esses, andam para aí, pelas esquinas, "escandalizados" com tudo isto.

Por amor de Deus.

Percam mais tempo a olhar no fundo dos olhos uns dos outros!

Pedro Guilherme-Moreira

Sem comentários: