2004-04-05

CARTA AOS TERRORISTAS

Cá no Ocidente costumamos começar as cartas que escrevemos com um vocativo em sinal de educação e cortesia.Não vai esta carta com o dito porque aquele que eu acho que mereciam não se escreve nos jornais.

Escrevo-vos esta carta por raiva , daquela raiva feita de indignação , de espanto e de horror. E também para vencer o medo que se instala nas nossas vidas depois de mais um atentado . O medo que planeais com requintes de maldade e com precisão quase científica. O medo de que vos ris , que vos incita e vos encoraja , numa espiral sem fim , a mais um massacre, metódica e friamente estudado.

Imagino-vos a ler nos jornais , ou a ver nas televisões , os efeitos dos vossos crimes : Bilbao, S. Sebastian, Jerusalém, Gaza, Nova York, Bali, Casablanca , Bagdad , e agora, Madrid - que isto de terrorismo não é como o colesterol , que o há bom e mau. Imagino-vos a todos - sejam Eta, Ira, Hamas, Al- Qaeda ou Brigadas seja do que for - sem uma réstea de compaixão, sem um sinal de racionalidade.

Imagino-vos a planear mais um massacre e a antegozar
a insegurança que , humana e justificadamente toma conta dos nossos dias, tolhendo-nos a liberdade e fazendo-nos recear o futuro. Imagino-vos – não imagino - tenho a certeza de que sois loucos à solta , que não sabemos onde estão, mas que parecem estar em toda a parte , financiados não se sabe por quem, assinalando em mapas de horror o tempo e o modo como dar cabo da humanidade.

Não há ciências humanas que expliquem e justifiquem o genocídio , seja qual for a autoria. Como não há Israéis , Palestinas , Sharons , Bushs , petróleo ou independências que expliquem a cobardia e a infâmia do massacre de gente que teve o azar de, numas certas manhãs , se encontrar nas torres de Nova York , num autocarro em Jerusalém , numa rua de Belém ou apanhar o combóio na estação de Henares de Alcalá ...

Julgais, por certo, que foi o medo de “Atocha” que mudou o Governo da Espanha . E que , por medo , também, Zapatero anunciou “ nem mais um soldado para o Iraque”. Desenganai-vos. O governo mudou de cor em Espanha porque os espanhóis se sentiram aldrabados e porque são um povo livre. Zapatero não vai cometer o erro de vos dar a ilusão de que o povo espanhol cedeu à vossa chantagem.

E se pensais que , quando nas praças da Europa , milhões de pessoas se insurgiram contra a invasão do Iraque, o fizeram por simpatia por Sadam ou por medo de vós, ficai sabendo que foi por causa de Bush se julgar dono do mundo e do seu petróleo. E se hoje , em Espanha, e em outros países , há muitas vozes que se levantam contra a permanência dos americanos , ingleses, italianos , uns tantos polacos e uns pouquíssimos e simpáticos portugueses no Iraque , ficai sabendo que não é por medo de vós – mal de nós se fosse- mas por saberem que o que está e como está no Iraque não leva a democracia nem a paz nenhuma.

E, já agora , se tendes notícia de que em Portugal também há gente – e muita- que se manifesta na rua contra a presença de forças portuguesas no Iraque e contra o seguidismo dos nossos governantes, ficai sabendo que não é por medo de vós , mas porque quer deitar abaixo o Governo...

E , se chegou ao vosso conhecimento que por cá há quem defenda que se deve dialogar com terroristas , ficai sabendo - embora isso não vos importe -que eu acho que , em matéria de terrorismo, não há amnistia nem perdão, não há , como dizemos no mundo do direito, transacção.

Luisa Novo Vaz- Viana do Castelo, 21 de Março de 2004

Sem comentários: