2003-12-04

A LENDA DAS ROSAS

Pronto. Demorou, mas veio.

Eis a prometida letra do fado que me viu crescer, e que o meu pai cantava melhor que todos os homens do mundo. É a voz dele no vídeo abaixo.
Ouvi-o em cada momento da vida.
Exigi-o nos outros todos:))


"A LENDA DAS ROSAS

Na mesma campa nasceram

Duas roseiras a par,

Conforme o vento as movia

Iam-se as rosas beijar



Deu uma rosas vermelhas,

Desse vermelho que os sábios

Dizem ser da cor dos lábios,

Onde o amor põe cem ideias



Da outra, gentis parelhas

De rosas brancas vieram,

Só nisso diferentes eram,

Nada mais as diferençou



A mesma seiva as criou

Na mesma campa nasceram



Dizem contos magoados

Que aquele triste coval

Fora leito nupcial

De dois jovens namorados,



Que, no amor contrariados,

Ali se foram finar,

E continuaram a amar

Lá no além, todavia



E por isso ali havia

Duas roseiras a par



A lenda, simples, singela,

Conta mais, que as rosas brancas

Eram as mãos puras, francas,

Da desditosa donzela



E ao querer beijar as mãos dela,

Como na vida fazia,

A boca dele se abria

Em rosas de rubra cor



E celebravam o amor

Conforme o vento as movia





Quando as crianças passavam

Junto à linda sepultura



Toda a gente afirma e jura

Que as rosas brancas coravam

E as vermelhas se fechavam

Para ninguém lhes tocar



Mas que alta noite, ao luar

Entre um séquito de goivos,

Tal qual os lábios dos noivos

Iam-se as rosas beijar. "

12 comentários:

Luís Maia disse...

Só agora li o seu post o autor da letra é João LInhares Barbosa

Anónimo disse...

Tens razão. é uma autêntica obra prima.

Anónimo disse...

Olá
desde a minha infancia que ouço este fado cantado por familiares mas nunca o encontrei em nenhum cd... alguem m ajuda??

Obrigado :)

José disse...

O poema de Linhares Barbosa é na realidade lindo. Por isso mesmo não deve ser alterado. Pode encontrar a versão correcta no blogue "Fadinhos".

José disse...

O fado pode ser encontrado em CD in "Biografia do Fado" cantado por José Pracana.
Existe também uma versão em vinil interpretado por Maria do Rosário Bettencourt.

Pedro Guilherme-Moreira disse...

Obrigado, José. Já agora, dou o link para a letra correcta no bolgue "Fadinhos":
http://fadinhos.blogspot.com/2005/10/lenda-das-rosas.html
Esta fica aqui como está, se não se importa, por uma única razão: Foi tirada de ouvido de uma gravação do meu pai, e continuo a achar que ninguém a cantou como ele, mas gostava muito de ouvir a versão da Maria do Rosário Bettencourt, que nunca ouvi. Sóía chorar-se em ouvindo este maravilhoso fado, e havia muitos lenços a assoar a emoção. Recentemente, no dia em que fiz 40 anos, cantei-a aos amigos, pela primeira vez acompanhando-me a mim próprio, coisa que não sei fazer. Mas lá arranhei o Sol - Dó - Sol - Dó à guitarra, e a coisa saiu. Não tinha preparado nada. Marcou-me ainda mais, e tenho a certeza de que havia uma mãozinha por baixo a ajudar:). Bem-haja.

Joao T.Bastos disse...

Tenho 63 anos e sou contemporâneo de José Pracana (Liceu de Oeiras!).
Lembro-me de ir de propósito a um bar (perto da estação do Estoril) só para o ouvir! e o único vinil de 45 r.p.m. que tenho é precisamente o da Lenda das Rosas!
E não, não creio que seja lamecha -é "apenas" sublime!

Kaalkof disse...

De lamechas não tem nada, a não ser que não se ame o Fado. Esta letra é, simplesmente, linda!!E ouvida na voz de J. Pracana, é de arrepiar.
Não me levem a mal, mas tenho uma pequenina rectificação a fazer:
Onde se lê "Onde o amor pôe ideias", deveria estar "onde o amor põe centelhas".
O meu pedido de desculpas pela rectificação e um grande abraço.

Fernando disse...

Ola, boa noite.
Kaalkof tem toda a razao; so quem nao ama ou gosta de fado é que diz isso. E Jose Pracana é um excelente interprete, apesar de eu gostar mais de o ouvir em feminino.
Eu pessoalmente adoro Fado, tanto que casei com um Fadista que infelizmente ja nao canta devido a problemas de coraçao, seu nome é Selma Fernandes. Infelizmente nao tenho disco algum dela, cantava muitas vezes esse Fado.
Se alguem ler este comentario e que saiba quem tem disco (vinil) ou cd que me informe para o meu email por favor.
fernandof0729@hotmail.com.
Abraço a todos e continue com este excelente blogue. Fernando Fonseca.

António Maria disse...

Uma amiga disse-me ter ouvido na rádio Amália uma interpretação deste poema na voz de Amália Rodrigues; não conheço, porém no Youtube pode ser encontrada a interpretação de Maria Leopoldina da Guia, penso que a sua criadora, anterior à interpretação de José Pracana, a qual também pode ser encontrada no Youtube.

mario santos disse...

Eu possuo o fado "a lenda das rosas" cantado pelos seguintes intérpretes:
Nuno da Camara Pereira, Patricia Costa, João Balças, Maria Leopoldina da Guia, Mariette Pessanha, D. Hermano da Câmara, Filipe Manuel Acácio, Silva Duarte, Al Mouraria, Eulália Duarte, Zé Casaca, Maria Jô-Jô, Linda Martins, Jorge Gomes, Arminda Simões, Alberto Ventura/Carlos Proença, Lucio Bamond, Joao Carlos, Sergio Nunes e Vicente e muitos mais haverá que eu não conheço.
O Antonio Laranjeira tem um fado chamado "lenda de amor" que é uma ode à lenda das rosas e que faz parte do cd "luz".
Foi pena o Jose Pracana ter gravado tão poucos discos, dele só conheço outro ep chamado primavera perdida (primavera perdida/porque choraste por mim/pelas ruas da cidade/saudades de mil lembrança - alvorada ep-60-1092) e o "a ceia dos intelectuais" (parlophone 8E 016 40295).
Se alguém desejar alguma destas versões é só pedir. mariosantosf54@gmail.com


mario santos disse...

Eu possuo o fado "a lenda das rosas" cantado pelos seguintes intérpretes:
Nuno da Camara Pereira, Patricia Costa, João Balças, Maria Leopoldina da Guia, Mariette Pessanha, D. Hermano da Câmara, Filipe Manuel Acácio, Silva Duarte, Al Mouraria, Eulália Duarte, Zé Casaca, Maria Jô-Jô, Linda Martins, Jorge Gomes, Arminda Simões, Alberto Ventura/Carlos Proença, Lucio Bamond, Joao Carlos, Sergio Nunes e Vicente e muitos mais haverá que eu não conheço.
O Antonio Laranjeira tem um fado chamado "lenda de amor" que é uma ode à lenda das rosas e que faz parte do cd "luz".
Foi pena o Jose Pracana ter gravado tão poucos discos, dele só conheço outro ep chamado primavera perdida (primavera perdida/porque choraste por mim/pelas ruas da cidade/saudades de mil lembrança - alvorada ep-60-1092) e o "a ceia dos intelectuais" (parlophone 8E 016 40295).
Se alguém desejar alguma destas versões é só pedir. mariosantosf54@gmail.com