2003-07-04

EM MEMÓRIA DE ANTÓNIO PRIETO

À hora em que escrevo tu já foste para outra galáxia que eu não concebo que exista outro lugar para ti que não seja por cima das nuvens.
Há tão pouco tempo falavas,guloso,dos jantares que tinhas programado para receberes os amigos que eram muitos e combinavas caminhadas pelo Cabedelo em nome da saúde que tanto medo tinhas de perder....
E de repente a tua vida mudou e, de ti, chegavam notícias de que já não comias, não falavas e já não nos conhecias.
Não fui visitar-te.Mandei-te um recado "que pensava em ti " e que mais podia dizer-te se tu estavas a morrer e sabias?.
Quando a tua mulher telefonou e disse que tinhas morrido senti-me aliviada.Já não sofrias.
No teu funeral,os teus filhos choraram abraçados.
Eras um homem bom António Prieto e não devias ter morrido cedo.
Havia ainda muitos jantares e muitas conversas ....
LUíSA NOVO VAZ, 2003-07-03



Sem comentários: